Como juntar dinheiro para casar: 9 Dicas indispensáveis

Veja 9 dicas que vão te ajudar a juntar dinheiro para casar mais rápido e sem abrir mão do seu conforto.

 

O sonho de casar é comum entre muitas pessoas. Infelizmente, outra coisa comum também é a dificuldade em juntar o dinheiro para bancar tal evento.

Um casamento pode, dependendo do que for feito, custar entre R$ 10 mil e R$ 80 mil ou mais.

Devido a isso, uma das metas que casais têm em comum é juntar dinheiro para casar.

No post de hoje, você vai aprender a fazer exatamente isso.

 

Juntando dinheiro para casar: 9 dicas essenciais

1 – Quite todas as dívidas

Antes de começar a juntar dinheiro para casar, você precisa garantir que não terá nenhum compromisso financeiro competindo com as suas economias.

Portanto, livre-se primeiro de todas as dívidas que possam existir.

A tentação de começar a poupar ao mesmo tempo em que se paga uma dívida é grande, mas acredite, não vale a pena.

Isso porque o dinheiro que você está “guardando” poderia ser usado para quitar as dívidas mais rápido e te deixar tranquilo.

Então, estabeleça esta como sua prioridade número 1.

 

2 – Faça um planejamento financeiro

O planejamento financeiro do casal é essencial para conseguir juntar dinheiro.

Ele vai apontar exatamente quais são os ganhos líquidos, quais são as despesas e quanto sobra todos os meses.

Além disso, deve ser estipulada uma meta.

Por exemplo, se você vai se casar daqui a 2 anos e quer gastar R$ 36 mil em seu casamento, então deve arrecadar R$ 1.500 por mês até lá.

Tente se manter fiel ao seu planejamento, pois é uma fórmula que sempre dará certo enquanto você a respeitar.

 

3 – Corte gastos desnecessários

É muito mais fácil falar do que fazer esta parte. Mas se você quer juntar dinheiro para casar, precisará se esforçar um pouco.

Acredite: entre os gastos desnecessários estão coisas que você julga indispensáveis hoje, mas que podem ser eliminadas.

Um bom exemplo é aquela assinatura daquele serviço que você meramente usa uma ou outra vez por mês.

Ou, então, aquele estacionamento onde você paga mensalista, enquanto poderia estar indo trabalhar de transporte público.

Há ainda os gastos com restaurantes, bares, pizzaria, festas, aplicativos de transporte, além de coisas desnecessárias que você compra no mercado.

Juntando tudo isso, no fim do mês a diferença pode ser bem alta.

 

4 – Faça um investimento rentável

Guardar o seu dinheiro na poupança não é mais uma opção viável, ainda mais no momento vivenciado pelo mercado financeiro em 2020.

Com a queda da taxa Selic, que governa os juros de todas as operações financeiras, o rendimento é quase nulo.

O Tesouro Direto, o CDB e os fundos de investimento são opções igualmente seguras e com rendimentos melhores.

Você pode investir em um contrato com prazo definido para sacar o montante somente quando chegar o momento de se casar.

Assim, além de render mais, você garante que não vai usar o dinheiro antes da hora.

 

5 – Evite ao máximo os cartões de crédito

Qualquer coisa que você compra em cartões de crédito se torna uma dívida a ser paga nos meses subsequentes.

Pior ainda se for parcelado, pois você compromete uma parcela da sua renda durante mais tempo.

Juntar dinheiro para casar significa abrir mão de certas mordomias para ser mais controlado.

Conte apenas com o dinheiro que você tem em mãos todos os meses.

Assim, você não corre o risco de gastar mais do que pode e passar o mês inteiro sem juntar absolutamente nada.

 

6 – Procure uma renda extra

Atualmente, é muito fácil conseguir uma renda extra para melhorar seus ganhos.

Trabalhar com um link de afiliados, escrever textos para blogs e criar postagens para mídias sociais são alguns exemplos que podem ser feitos com investimento quase nulo.

Além disso, se você possui alguma habilidade que possa ser aproveitada, coloque-a em prática.

Fazer doces e salgados para vender é uma boa opção, assim como serviços de jardinagem e pintura de casas.

Trabalhar meio período em restaurantes e pizzarias também é válido, além das horas extras em seu próprio trabalho principal.

 

7 – Trabalhe o orçamento do casamento

Antes de sair fechando negócio com a primeira proposta que você receber, avalie bem o orçamento do casamento.

Tanto a cerimônia quanto a festa precisam estar de acordo com as expectativas dos noivos, mas também dentro do que eles podem pagar.

Às vezes, mudar alguns detalhes pode deixar tudo muito mais barato.

Um bom exemplo é substituir as opções de refeição no buffet por outras igualmente saborosas, porém, mais em conta.

Deixe de lado o que puder ser deixado e modifique o que puder ser mudado para que o orçamento fique mais confortável, sem desmanchar a magia do evento.

 

8 – Pesquise os concorrentes

A concorrência pode ser mais vantajosa do que a primeira empresa com a qual você fez contato.

Isso vale para todos os profissionais envolvidos no casamento, desde a decoração, cerimônia e buffet, até as lembrancinhas e roupas dos noivos.

Procurar na concorrência pode render orçamentos mais baratos e sem perda de qualidade.

A lei da oferta e procura conta muito nesta parte. E se você está tentando juntar dinheiro para casar, precisa avaliar quem te dá o melhor custo-benefício.

É comum acabar trocando de fornecedor no meio do caminho, então pesquise bem para que isso não aconteça e para ficar mais tranquilo.

 

9 – Lembre-se da sua moradia

Já dizia o ditado da vovó: “quem casa quer casa”. E você? Já tem a sua?

É algo para se pensar. O imóvel próprio é muito importante nesta fase da vida, pois você já não pode mais se dar ao luxo de ficar se mudando constantemente ou pagando um aluguel que sobe a cada 2 anos.

Uma ótima opção é começar a financiar um apartamento ao mesmo tempo em que você está juntando dinheiro para casar.

Assim, quando se casar, seu apartamento já estará pronto, novinho em folha, só aguardando a chegada dos noivos.

Veja os apartamentos na planta da CWCI e comemore sua vida a 2 de casa nova!

POSTAGENS RELACIONADAS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.